31/08/2010

Saudade

     É sabido que a palavra Saudade só existe no idioma português, mas não por isso, só nós brasileiros e portugueses (e outras nacionalidades que tem o português como idioma natal) a sintam.

     Em italiano, saudade pode ser traduzida como “nostalgia”, mas a nostalgia também existe em português, e ao meu entender, expressa mais uma saudade de um tempo, uma fase da vida, etc. A saudade é diferente.

     A palavra "struggimento", também pode ser usada para expressar a saudade. Mas, significa a procura por alguma coisa em um futuro indefinido, desejo de alguma coisa, esperança, etc.

     Tudo bem, teremos que nos virar para explicar o verdadeiro sentimento em palavras na língua italiana.

     E para mim, como já disse, a saudade que sinto no momento é do meu marido, que está na Itália esperando-me. E, quando eu matar a saudade dele, uma outra saudade começará a tomar forma em meu coração: a saudade da família e dos amigos que deixarei no Brasil.

     O engraçado é que é um sentimento previsível e inevitável nestas situações.
   
      Sempre que estou vivendo um momento legal em família, com amigos, nestas semanas pré-Itália, já fico meio nostálgica. Sei que vai ser difícil, mas sei também que valerá o sacrifício.

     E às vezes, a saudade é medida mais pela distância. Por exemplo: podemos ter pessoas perto da gente que gostamos, na mesma cidade, com quem ficamos muito tempo sem ver, conversar e, só de imaginar que não estaremos mais tão perto, a saudade vem, e sei que é possível que um pouco de arrependimento surja por não ter feito o possível para estar junto enquanto se estava perto.

     As coisas são assim.

     O importante é ter as pessoas queridas sempre no coração. Não importa quão longe estejam, quanto tempo não se veem, o amor e carinho não se findarão.

     Tenho primas que fizeram o que vou fazer, foram para um outro continente, em busca de uma outra vida. Ficaram em alguns anos e voltaram (uma ainda está lá), e o sentimento não mudou, a distância afasta, mas nada como a volta, a reconvivência para se perceber que o amor é maior que tudo, independente de como e quanto as pessoas mudam, de quantas diferenças existam, o amor sempre vai estar lá, .

    E agora eu estou prestes a fazer esse caminho. Vou ficar longe de todos, mas o amor sempre no coração.

     Bob Marley disse uma sábia frase: "Os ventos que às vezes tiram algo que amamos, são os mesmos que nos trazem algo que aprendemos a amar. Por isso não devemos chorar pelo que nos foi tirado e sim, aprender a amar o que nos foi dado. Pois tudo aquilo que é realmente nosso, nunca se vai para sempre."

     Os ventos são o destino, a perda pode ser a distância ou até mesmo a morte. E tudo é passageiro, até mesmo a morte. Sempre terão reencontros, novas vidas, e o amor sempre estará presente. E afinal, matar a saudade é a melhor parte de se sentir saudade.

     Quero dizer aqui para minha família, principalmente, que cada um deles estará no meu coração, aonde eu for, onde eu estiver. Amo vocês.

“A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás, mas só pode ser vivida olhando-se para frente.” (Soren Kierkegaard)

28/08/2010

Expressões Idiomáticas em italiano

     Depois do desabafo de ontem e falando mais um pouco da língua italiana, é sempre muito difícil aprender gírias e expressões quando ainda não está vivendo no cotidiano o idioma. Nos livros geralmente encontramos somente a linguagem mais formal e tal. No meio das minhas buscas pela internet, achei uma tese de Doutorado de uma aluna de Letras da USP, muito interessante, de expressões idiomáticas.

     A fonte de pesquisa foi obras de Gianni Rodari, autor italiano de livros infantis, que foi importante jornalista e estudioso de pedagogia, tendo recebido o Prêmio Andersen de Literatura Infantil em 1970.

     Fiquei até com vontade de ler os livros dele. Italo Calvino (um dos mais importantes escritores italianos do século XX), disse sobre Rodari: “Gianni Rodari sapeva sbizzarrire la sua fantasiacon lo slancio più estroso e la più felice leggerezza”.

     Em seu livro Favole al Telefono, Rodari publicou um conto chamado “Il buon Gilberto”. Que mostra como as expressões idiomáticas podem causar confusão, pela má interpretação.

Il buon Gilberto

     Il buon Gilberto era molto desideroso di imparare e perciò stava sempre attento a quello che dicevano i grandi.
     Una volta sentí dire da una donna: – Guardate la Filomena come vuol bene alla sua mamma: le porterebbe l’acqua nelle orecchie.
     Il buon Gilberto rifletté: “Magnifiche parole, le voglio próprio imparare a memoria”.
     Qualche tempo dopo la sua mamma gli disse: – Gilberto, vammi a prendere a un secchio d’acqua alla fontana.
     – Subito, mamma, – disse Gilberto. Ma intanto pensava: Voglio mostrare alla mamma quanto le voglio bene. Invece che nel secchio, l’acqua gliela porterò nelle orecchie”.
     Andò alla fontana, ci mise sotto la testa e si riempí d’acqua um orecchio. Ce ne stava quanto un ditale e per portarla fino a casa il buon Gilberto doveva tenere la testa tutta storta.
     – Arriva quest’acqua? – brontolò la mamma che ne aveve bisogno per fare il bucato.
     – Subito, mamma, – rispose Gilberto, tutto affannato. Ma per rispondere drizzò la testa e l’acqua uscí dall’orecchio e gli andò giú per il collo. Corse alla fontana a riempire l’altro orecchio: ci stava esattamente tanta acqua come nel primo e il buon Gilberto doveva tenere la testa storta dall’altra parte e prima di arrivare a casa l’acqua si era tutta versata.
     – Arriva quest’acqua? – domandò la mama stizzita.
     “Forse ho le orecchie troppe piccole” pensò rattristato il buon Gilberto. Intanto però sua madre aveva perso la pazienza, credeva che Gilberto se ne fosse stato a giocherellare alla fontana e gli allungò due scapaccioni, uno per orecchio.
      Povero buon Gilberto.
     Si prese in santa pace i due scapaccioni e decise che un’altra volta avrebbe portato l’acqua col secchio.

     Hahahahahah. Muito bom né?

     Traduzindo, para quem não está com o italiano tão afiado, porém adaptando o conto à expressão brasileira:

O bondoso Gilberto

     O bondoso Gilberto gostava muito de aprender e por isso estava sempre atento àquilo que diziam os adultos.
     Um dia ouviu uma mulher dizer: – Olhem a Filomena, como ela gosta da mãe: faz das tripas coração.
     O bondoso Gilberto refletiu: “magníficas palavras, vou guardá-las na memória”.
     Algum tempo depois sua mãe lhe disse: – Gilberto, vá até o açougue para comprar tripa.
     – Já estou indo, mamãe – respondeu Gilberto. Mas no caminho pensou: “Quero mostrar para a minha mãe como eu gosto dela. Vou fazer das tripas coração para impressioná-la”.
     Foi até o açougue e pediu tripa. Segurou-a em forma de coração e foi andando até em casa. – Essa tripa vem ou não vem? – resmungou a mãe que estava esperando para fazer o almoço. – Estou chegando – respondeu Gilberto, todo apressado. Mas ao responder, soltou as mãos e a tripa caiu no chão. Voltou até o açougue e pediu novamente tripa: fez um coração e foi caminhando lentamente para casa – Essa tripa vem ou não vem? – perguntou a mãe, irritada.
     “Talvez minhas mãos sejam pequenas demais”, pensou Gilberto ao deixar cair novamente a tripa no chão. Enquanto isso porém sua mãe tinha perdido a paciência; imaginando que Gilberto estivesse brincando todo esse tempo, lhe deu dois sopapos, um em cada braço.
   Coitado do bondoso Gilberto.
   Tomou sem reclamar os sopapos e decidiu que, na próxima vez, traria a tripa embrulhadinha no papel do açougue.

     A diferença é que a expressão italiana diz, ao pé da letra, carrega água nas orelhas, e Gilberto vai buscar água para a mãe, e já podem imaginar o que ele fez, né?

     Por essas e outras, tomei a liberdade de colocar essas expressões aqui. Talvez algumas nem se use mais, mas é interessante perceber que algumas são bem parecidas às nossas.
     Vai que um dia ouvimos alguma destas, pelo menos já dá pra ter uma idéia do que significa né?

- Affari d’oro e d’argento – Fazer um bom negócio
- A mani vuote – De mãos abanando
- Andare all’assalto – Pronto para o ataque
- Andare fine in fondo – Ir até o fim
- Andare via liscio, andare d’incanto – Prosseguir sem obstáculos
- Andarsene per i fatti suoi – Ir cuidar da própria vida
- Arricciare il naso – Torcer o nariz (mostrar desagrado)
- Attaccare l’asino dove vuole il padrone – Fazer o que manda o chefe
- Avere le mani d’oro – Ter mãos de fada
- Avere una lavata di capo - Levar uma bronca
- Avere sulla punta della língua – Estar na ponta da língua
- Battere il ferro finché è caldo – Aproveitar-se da situação
- Bianco come um fantasma – Pálido, branco como um papel
- Che diavolo ou Che razza – Que diabos!
- Che seccatura! – Que saco!
- Chiudere gli occhi – Fingir não ver ou morrer
- Combinarne di tutti i colori – Aprontar o maior fuzuê
- Con la bocca aperta – Surpreso, espantado
- Crollare il capo – Sacudir a cabeça (em desaprovação)
- Da cosa nasce cosa – Uma coisa puxa a outra
- Dare di volta il cervello – Perder a cabeça
- Dare retta – Dar bola (dar atenção ou confiança)
- Darsi pensiero – Esquentar a cabeça (se preocupar)
- Dormire come un ghiro in letargo – Dormir como uma pedra
- Due cappeli non fanno primavera – Uma andorinha só não faz verão.
- Esserci sotto qualquosa ou Qui gatta ci cova – Aí tem coisa! Aí tem dente de coelho.
- Essere ai sette cieli ou Essere al settimo cielo – Estar no sétimo céu (no paraíso)
- Essere ancora in fasce – Mal saiu das fraldas, Estar ainda fedendo a cueiro
- Essere a portata di mano – Estar ao alcance das mãos
- Essere a terra – Estar arrasado
- Essere um gufo – Parecer um urso (mal educado, pouco sociável)
- Essere più buono del pane – Ser um anjo (generoso, ser excelente pessoa)
- Faccia di bronzo – Cara de pau
- Faccia lunga ou Essere scuro nel volto – Estar de cara amarrada, carrancudo
- Falso come Giuda – Como Judas (falso, traidor)
- Fare di testa sua – Fazer o que der na telha
- Fare i capricci – Fazer manha
- Fare schioccare la língua - Lamber os beiços
- Far fagotto – Sair chispando, Fugir em disparada
- Far finta di non vedere – Fingir não ver
- Farla finita – Acabar logo com isso
- Farsela addosso ou Farsi sotto dalla paura – Mijar nas calças, revelar-se medroso
- Farsi vivo – Dar o ar da graça (aparecer)
- Far venire i nervi – Dar nos nervos (causar irritação)
- Ficcare il naso negli affari altrui - Meter o nariz onde não é chamado
- Finire con le chiacchiere – Deixar de conversa mole
- Fregarsi le mani – Esfregar as mãos (mostrar-se muito satisfeito)
- Gettare polvere negli occhi – Iludir
- Girare la testa – Sentir a cabeça girar (zonzo)
- In carne ed ossa – Em carne e osso
- Infischiarsene – Não dar a mínima
- In gamba – Em forma
- Leccarsi le dita – Lamber os beiços
- Mangiare il risotto in testa – Fazer de gato-sapato (ridicularizar, tratar com desprezo)
- Mano bucata – Mão aberta (gastador)
- Mettere la mano sul fuoco – Pôr a mão no fogo
- Molto fumo e poco arrosto – Muita fumaça mas nenhum fogo
- Non aprire bocca – Permanecer calado
- Non battere ciglio – Sem pestanejar (sem manifestar qualquer dúvida)
- Non capire un’acca (non capire niente) – Não entender nada
- Non fare torto – Não fazer desfeita
- Occhio nudo – A olho nu
- Ogni cosa a suo tempo – Cada coisa em seu tempo
- Passare a miglior vita – Passar desta para melhor (morrer)
- Per filo e per segno – Timtim por timtim, em detalhes
- Perdere la testa – Perder a cabeça
- Perdersi in chiacchiere – Repetir a lengalenga
- Più morto che vivo – Mais morto que vivo (desanimado)
- Portare in palma di mano – Tratar a Pão de Ló (com todo carinho e cuidado)
- Portare l’acqua con gli orecchi, levarsi anche il pane di bocca per uno; scodellar (gli) la pappa; smussare gli angoli; far ponti d’oro – Como em português: “tirar o pão da própria boca para dar ao outro” ou “fazer das tripas coração” (com a idéia de fazer tudo por alguém, ser capaz de tudo por essa pessoa);
- Prendere per il naso – Tirar um sarro
- Prestar orecchio – Ser todo ouvido (prestar atenção ao que se diz)
- Punto e basta! – E ponto final
- Restare com le mani in mano ou Estare col naso per aria – Viver de papo para o ar (estar sem fazer nada)
- Restare di gesso – Como uma estátua de gesso, sem expressão
- Ridere dietro ou Ridera alle spalle – Fazer chacota, caçoar, ridicularizar
- Rientrare sulla retta via – Levar ao caminho do bem
- Rimboccarsi le maniche – Arregaçar as mangas
- Saltare e ballare dalla gioia – Pular de alegria
- Sano come un galletto ou Essere sano in lungo e in largo – Vender saúde
- Saperla lunga – Ser macaco velho (astuto, esperto)
- Scaldare il banco – Esquentar o lugar (permanecer muito tempo no mesmo lugar)
- Scoppiare a piangere – Desandar a chorar
- Sgranchirsi le gambe ou Fare due passi/ Fare quattro passi – Desenferrujar as pernas, dar um passeio
- Solitario come um cane – Sozinho, Abandonado como um pobre
- Spalancare gli occhi – Arregalar os olhos
- Strapparsi i capelli – Arrancar os cabelos
- Strizzar l’occhio – Dar uma piscada (como cumplicidade ou maliciosamente)
- Tagliare la testa al toro – Cortar o mal pela raiz
- Tener d’occhio – Estar de olho (vigiando)
- Tenere duro – Aguentar firme
- Torcersi le mani – Morder os lábios (mostrar preocupação ou desgosto)
- Venire al dunque ou venire al sodo – Falar sem rodeios, ir direto ao assunto
- Venire fuori dalle orecchie – Sair pelos olhos (estar empanturrado, comer muito)
- Venire i brividi – Dar arrepios
- Visco come un pesce persico – Mais saltitante do que nunca (agitado, empolgado)
- Voltare la schiena – Virar de costas (demonstrar descontentamento ou desprezo)

Gostou e quer mais? Veja esses links: Frasi fatte, Proverbio, Modi di dire.   

Divirtam-se. Até a próxima.

Mille baci.

Pedras no caminho. Um desabafo.

     Toda escolha tem suas dificuldades, todo caminho a seguir tem suas pedras, seus obstáculos.
     O maior pra mim na fase que estou, é a distância do meu amor.
     Estar longe foi um sacrifício que concordamos em fazer por um futuro melhor..
     E nunca pensamos que seria fácil, e não tem sido mesmo.
    A saudade dói! Ficar longe quando longos anos foram vividos juntinhos, se vendo todos os dias é muito difícil. Mesmo hoje com a facilidade da internet, skype, poder nos falar vendo e ouvindo, todos os dias, ainda assim é penoso. E como disse Pablo Neruda em um de seus sonetos publicados em 1960: 

"Amor, quantos caminhos até chegar a um beijo, que solidão errante até tua companhia!"
    Estamos batalhando e correndo atrás de tudo para que possamos estar juntos novamente o quanto antes. Matar a saudade, essa maldita que está quase nos matando. Porque,  finché c'è vita c'è speranza. E é o nosso sonho que nos fortalece, essa vontade de viver e vencer. Nosso amor só vai ficando mais forte, e quando as metades se reencontrarem, tudo voltará a brilhar.
     Ti, te amo. Logo estarei aí.

    E já que citei Neruda, e já que falo aqui de sonhos, meus sonhos, tem um texto que frequentemente atribuem ao grandioso poeta chileno, mas que é de uma escritora brasileira chamada Martha Medeiros. E fala exatamente dessa vontade de viver, lutar pelos sonhos. Eu escolho viver e encontrar a felicidade, e vocês?

"Na vida..

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca, não arrisca vestir uma cor nova e não fala com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o escuro ao invés do claro e os pingos nos “is” a um redemoinho de emoções, exatamente a que resgata o brilho nos olhos, o sorriso nos lábios e o coração aos tropeços.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto, para ir atrás de um sonho.

Morre lentamente quem não se permite, pelo menos uma vez na vida, ouvir conselhos sensatos.

Morre lentamente quem não viaja, não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da sua má sorte, ou da chuva incessante.

Morre lentamente quem destrói seu amor próprio, quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem abandona um projeto antes de iniciá-lo, nunca pergunta sobre um assunto que desconhece e nem responde quando lhe perguntam sobre algo que sabe.

Evitemos a morte em suaves porções, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples ar que respiramos.

Somente com infinita paciência conseguiremos a verdadeira felicidade."

27/08/2010

Estudar italiano

Estudar italiano ainda no Brasil

     Como eu havia prometido, vou falar sobre o estudo da língua italiana. Questo idioma belíssimo! Um curso no Brasil não é barato e, normalmente em pequenas escolas, não há formação de turma, então acaba sendo uma aula particular, e por isso, pesa no bolso.

     Eu tive a sorte de ter estudado pelo C.E.L., Centro de Estudos de Línguas, projeto da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. Lá, o curso tem duração de 03 anos e atende alunos da Rede Estadual. Pena que acabei não usando, não praticando e toda a minha fluência, ou quase toda, foi pro Beleléu. Mas nada que uma refrescada de memória não resolva! O negócio é praticar. Ler, ouvir, se arriscar a falar. E é o que tenho feito.

     E não dá pra chegar à Itália falando somente “Ciao”, “Grazie”, “Tutto bene”, hahaha. Quanto mais souber antes de ir, melhor. Aí lá o idioma flui, dá pra fazer cursos de graça pelas comunas e mergulhar no idioma.

      Enquanto isso aqui na “Terra Tupiniquim” é possível encontrar ótimas maneiras de se estudar italiano usando as facilidades da internet. O melhor site para mim é o Iluss , lá tem lições bem explicativas, exercícios para se fazer on line, opção de impressão, opção de ouvir pronúncia, etc, para todos os níveis de conhecimento do idioma. É ótimo!!

     Outro é o Matdit, já mais com textos, pra quem gosta de ler e fazer exercícios de interpretação é uma boa.

     Existe uma infinidade de sites, o negócio é fuçar na net... afinal, hoje em dia se encontra de tudo. Dá pra baixar livros em italiano, músicas, ler jornal, artigos, sites do governo italiano, etc, etc... Oportunidades de treinar e aprender não faltam. Nada que um Google não resolva não é mesmo? Busque por palavras chaves como: aprender italiano, imparare l’italiano, estudar italiano, etc....

     Bem, é isso aí.

     Tem uma frase que adoro: “o que não se sabe é sempre mais importante do que aquilo que se sabe”.

     Portanto, não percamos tempo.

     Avanti popolo ed in bocca al lupo! (como diria o Saga, rs).
 
     Mille baci!

26/08/2010

Estudos – Legalização de Títulos e Profissão

     Bem, como eu disse no post anterior, se a vontade é estudar ou exercer a profissão na Itália, é preciso legalizar os títulos de estudos realizados no Brasil.

     Por que estudar na Itália? Então, um curso no exterior é um “up” no seu currículo, além de aumentar as possibilidades de se trabalhar em algo que gosta naquele país e sair do subemprego, hahaha. Em geral, os italianos não gostam de estudar, e se tem ótimas universidades por todo o país, com oportunidades de bolsas para estrangeiros inclusive. Por essas e outras, vale a pena investir.

     Se você já tem uma profissão no Brasil, como eu, e a sua intenção é ficar um bom tempo por lá e se possível exercer a profissão conquistada no Brasil, corra atrás. Valide seus títulos, prepare seu currículo, e “vamo que vamo”!! Em próximos posts vou comentar como procurar emprego e cursos na Itália. Por hora, vamos ao processo de Legalização e Títulos e Profissão. Afinal, a Europa toda precisa SIM de profissionais formados. Aumente sua bagagem profissional e pessoal!! "E ora, lasciamo le chiacchiere e veniamo al dunque".

     O Consulado de São Paulo efetua a legalização de certidões e diplomas emitidos por entidades educacionais brasileiras legalmente reconhecidas dos títulos obtidos na Circunscrição Consular de São Paulo (Estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Acre, Rondônia). Se você mora em outros estados, consulte o consulado correspondente.

     Primeiramente, deve solicitar na escola em que concluiu (se você ainda não tiver pego), os Históricos Escolares do Ensino Fundamental e Médio. Se a conclusão foi antes de 2003, deve pedir que coloquem os dados da Lauda de Concluinte (contendo nº página, caderno, data de publicação, etc.), se a conclusão foi após 2003, você deve pegar a Lauda pela internet no site do GDAE.

     Com os dados fornecidos da Lauda de Concluinte (antes de 2003), você imprime uma cópia da página da publicação no site da imprensa oficial, clicando aqui.

     Em seguida, reconheça firma em cartório de uma das assinaturas de cada Histórico Escolar. Leia o Histórico antes de fazer o processo, a escola pode cometer erros, como no meu caso que tive que refazer. Caso as assinaturas não tenham firma aberta (diretores antigos, por exemplo), o Histórico também deve ser feito e assinado pelo diretor atual com firma aberta em cartório.

     Como eu fiz curso técnico após o ensino médio, eu também peguei o Histórico do Técnico em Química, a Lauda e reconheci firma (do Histórico, não da Lauda =)).

    Depois, como no meu caso me formei na universidade, fiz o pedido do Histórico Escolar, Programa de Ensino e Certificado de Conclusão (já que o Diploma só sai 1 ano após a conclusão). O Programa de Ensino é praticamente um “livro”, o meu tem 151 páginas e, deve-se solicitar na universidade, uma capa declarando que o aluno tal, cursou tal curso, e que o programa de Ensino é composto por tantas páginas, etc. Esse documento é que terá firma reconhecida, será traduzido etc., e não as 151 pg. (Ainda bem!! =)).

     Uma carta de declaração de confirmação de autenticidade do Histórico e do Certificado deve ser preenchida pela Universidade e assinada, e reconhecer firma também. Cliquem para obterem os modelos: Histórico e Diploma .

     Pronto! Estando em mãos todos os documentos com firma reconhecida (exceto as Laudas, o Programa de Ensino inteiro e as cartas de confirmação de autenticidade do Histórico e Certificado ou Diploma), todos os demais documentos devem ser traduzidos.


     Para isso, procure um Tradutor Juramentado (Estado de São Paulo) mais próximo de você, pelo link.

     Se prepare, uma boa quantia será gasta com essas traduções, eu gastei por volta de R$700. Urgh!! Lembrete: As traduções também devem ter a assinatura do tradutor reconhecida em cartório!


    Com documentos e traduções em mãos, é hora de enviar para o Eresp (estou nesta fase! rs =)). Todos os documentos, exceto as Laudas, devem ser enviados por correio no endereço: Av. das Nações Unidas, 11857, 4º andar. Brooklin Novo CEP: 04578-908 / São Paulo/SP.

     Uma carta (preferencialmente digitada) constando todos os documentos que estão sendo enviados, quantidade e em qual país eles serão apresentados deve ser enviado juntamente no envelope, assim como endereço para devolução e um telefone fixo.


     Os documentos demoram pelo menos 10 dias para serem devolvidos. Se no mesmo envelope tiver mais de 5 (no meu caso foram 14!!), esse prazo será maior.

     Aí é só esperar e em seguida, ir ao consulado para legalizar os títulos (que é de graça).

     Agora, se além dos estudos você quer legalizar a profissão, assim como eu, você precisa:

- Somente para quem requer a legalização para o reconhecimento da profissão na Itália: DECLARAÇÃO DO CONSELHO REGIONAL, OU ORGÃO COMPETENTE, com data de emissão não superior a três meses, onde conste claramente:

a) que o interessado está matriculado;

b) o número da matrícula;

c) os dados da Lei Federal que regulamente o exercício da profissão no Brasil;

d) as atividades profissionais que o título habilita a exercer no Brasil;

e) que nada impede o legítimo exercício da profissão no Brasil.

     Esse documento também tem que ter firma reconhecida, deve ser traduzido e enviado ao Eresp como os demais. No meu caso foi um documento de Certidão Negativa do Conselho Regional de Química e custou R$44.

     Com todos os documentos em mãos, é hora de levar no consulado (o reconhecimento da profissão tem uma taxa consular, que ainda não tenho certeza, mas é por volta de R$500, quando eu fizer a minha eu confirmo aqui). E deve ser levado:

- CÓPIA SIMPLES DE TODA A DOCUMENTAÇÃO (menos do “conteúdo programático”), INCLUINDO AS TRADUÇÕES.

- CÓPIA SIMPLES DE UM DOCUMENTO DE IDENTIDADE VÁLIDO.

- DOMANDA PER LA LEGALIZZAZIONE DEI TITOLI, devidamente preenchida. (baixe o modelo)

Apresentar a documentação em ordem cronológica a partir do mais antigo e na seguinte ordem:

1. Original, com a tradução.

2. Cópia do original, com a cópia da tradução.

     O Setor que cuida da legalização de títulos e diplomas funciona junto ao Setor de Notariado. Atende ao público as terças (das 13:00 às 16:30) e quintas (das 08:30 às 12:30). Para as inscrições universitárias e bolsas de estudos, os pedidos deverão ser entregues pessoalmente nos prazos previstos por lei. Aconselha-se não esperar os últimos dias.

     Os documentos terão que ser apresentados pessoalmente ou através de um procurador; se a documentação apresentada estiver incompleta ou não conforme as instruções, a mesma será devolvida no ato, com instruções adequadas sobre como efetuar a regularização.

     Outras informações podem ser obtidas por telefone de Informações do Consulado Geral, tel. (11) 3549-5699, que funciona todos os dias úteis das 08:00 às 15:00, ou escrevendo para dirdidattica.sanpaolo@esteri.it, Ou ainda no site do Consulado de São Paulo, link.

     Aí é só correr pro abraço!


    Correr atrás do sonho de estudar e trabalhar “nella bella Italia”! Perché sognare è vivere!





    

24/08/2010

Estudar na Itália – uma parte do Sonho

     Uma das motivações do sonho é a oportunidade de fazer uma pós-graduação na Itália. Sou Química, técnica e bacharel, e comecei a procurar cursos, oportunidades de bolsas, etc.


     Primeiro, precisava saber como era o ensino lá na Itália, como é dividido o ensino superior. Então, descobri o seguinte:


     Ou seja:

- Laurea: é o curso de “Primo ciclo”, com duração de 3 anos

- Laurea Magistrale: é o curso de “Secondo Ciclo”.  Pode ser feita após a Laurea de Primo ciclo, com 2 anos de duração, ou em Ciclo Único, se não tiver ainda a Larurea Trienale, com duração de 5 ou 6 anos, dependendo do curso.

- Master di I e II livello: É um curso de alta formação, de aperfeiçoamento científico, é como se fosse uma especialização latu-sensu no Brasil. Têm a duração de pelo menos 1 ano. São cursos caros e difícil de se conseguir bolsa.

- Corso di Specializzazione: Um curso de especialização, formando especialistas em determinada profissão, tem a duração mínima de 2 anos.

- Dottorato di Ricerca: É como o nosso doutorado. Tem duração de pelo menos 3 anos e existem diversas oportunidades de bolsas de estudos. O Dottorato di Ricerca, exige que se tenha a fluência em inglês, além do Italiano. Portanto, se você se interessa, como eu, corra atrás do prejuízo e aprenda inglês!! =)

ATENÇÃO: O Master não é equivalente ao mestrado, não será validado no Brasil como mestrado, mas com certeza é de grande valor em qualquer lugar que você chegar com um diploma deste, é como um MBA. O equivalente ao mestrado seria a Laurea Magistrale (nem para todos os cursos).

     É possível ainda, fazer os cursos rápidos de Perfezionamento, têm curta duração (2, 3 ou 4 meses em média), e pode servir para você conseguir se adaptar à metodologia de ensino italiana, e ficar mais fluente no idioma.

     Se você já fala italiano ou está estudando, dê uma olhada neste site , lá explica em detalhes os tipos de cursos de nível superior.

     Para estudar na Itália, você tem que traduzir todos seus documentos escolares, para validá-los no Consulado.

     Até mais.

Cidadania italiana por casamento

Cidadania italiana por casamento 

     Bem, o que a esposa de cidadão tem direito? Alguns de vocês devem estar perguntando... Então, vamos por etapas:

     O pedido de cidadania italiana pode ser feito pelo cônjuge de cidadão/a italiano/a, residente nesta circunscrição consular, após 3 anos de casamento (contraído em cartório); nos termos da Lei de n.94 de 2009, este prazo é reduzido pela metade caso o casal tiver filhos.

      Mas, antes disso, para ir para a Itália é possível solicitar o Visto válido por 1 ano. E é necessário:

     Primeiramente, tanto a certidão de casamento em original quanto a tradução pública juramentada, as duas carimbadas pelo ERESP, tem que ser levadas para o Settore URP do Consulado para fazer a transmissão para a Itália.

     Depois da transmissão da certidão de casamento pelo Setor URP, pode apresentar-se no Setor Visti nos dias de atendimento ao público do Settore Visti (segunda e quinta-feira das 8:30 às 12:30 e terça-feira das 13 às 16:30 ; o atendimento é limitado a 20 pessoas por dia, isso no Consulado de São Paulo) com os seguintes documentos:

a. Passaporte + cópia simples (das 4 primeiras páginas);

b. Formulário preenchido (mod_pedido_visto.pdf);

c. Protocollo da transmissão da certidão de casamento pelo Settore URP + cópia simples;

d. Convite do seu esposo (Dich Invito.doc) anexando cópia do passaporte italiano dele;

e. Duas fotos 3x4 em cores, recentes;

f. Cópia simples da reserva da passagem (ou da própria passagem);

g. Comprovante de residência (conta de luz, água, tel.) + cópia simples;

h. Titulo de eleitor + cópia simples.


     Para baixar os dois documentos a serem preenchidos nos itens b e d, cliquem aqui.
     Para isso, o esposo cidadão já deve ter em mãos a residência italiana e a carteira de identidade italiana, e isso demora um pouco, por isso que ainda estou no Brasil. Tanto para o pedido do visto quanto a transcrição da certidão de casamento são necessários os dois documentos.

     O visto então é emitido em 7 dias e, já em solo italiano, o cônjuge deve solicitar na questura o “Permesso di Soggiorno CE per soggiornanti di lungo período” (S.L.P. – antiga Carta de Soggiorno) que tem duração de 5 anos e permite morar e trabalhar normalmente.

     Assim, depois de 2 anos residindo na Itália pode dar entrada na cidadania, ou 3 anos residindo no Brasil ou qualquer outro país que não a Itália! E esta, demora em média 2 anos para ser obtida.

     Ufa!

22/08/2010

O início

        Bem, comecei a traçar esse meu futuro destino há cerca de 13 anos, quando iniciei minhas aulas de Italiano, pelo CEL de Suzano em 1997. Por que o italiano? Bem, não sei dizer. Mas sei que era uma ótima oportunidade de aprender outra língua e, entre os idiomas lecionados no CEL, era o qual mais me agradava.




        Foram 3 anos de curso. Um ano depois de iniciar o italiano, me matriculei também no CEL, no espanhol. Conciliei o estudo de duas línguas pelas quais me apaixonei. E meu sonho, era correr o mundo, conhecer a Itália, Espanha, talvez estudar, morar, viver na Europa.




        Esse sonho acabou sendo deixado de lado, porém não esquecido, devido às circunstâncias da vida, dificuldades financeira, etc.




        E, coincidentemente, em 2003 conheci o então meu marido, ele que estava estudando italiano para ir para a Itália. Os planos sempre foram, desde o início, ir juntos. Afinal era um sonho antigo meu, que estava mais perto de se realizar.




        Por conta de estudos e destino, apenas agora, 7 anos depois que nos conhecemos, é que estamos conseguindo colocar em prática esse sonho em comum. Como ele conseguiu a cidadania italiana, por ser bisneto de italiano, tudo ficou mais fácil.




        Casamos-nos, ele lá está há quase 5 meses, e eu estou aqui, aguardando documentação para estar junto dele o quanto antes.




         E, é nesse espaço, que contarei alguns passos da minha jornada, a qual intitulei: Sonhos  na Itália.
         Espero que gostem, comentem, se identifiquem.
       
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...