31/10/2012

Os muros de Milão hoje

Das 3 muralhas, sobre as quais falei nos post anterior, infelizmente hoje resta muito pouco, mas ficou sua marca na atual urbanização da cidade.

A Milão Romana está quase inteiramente no subsolo, o circo e as termais estão visíveis sob San Lorenzo Maggiore; embaixo da Bolsa de Valores há paredes e calçadas. Apenas alguns trechos da muralha romana são ainda visíveis, tais como:

- Restos dos muros republicanos nos porões de alguns edifícios na Via San Vito, onde também se destaca pela técnica de construção, do lado norte da Carrobbio, parcialmente incorporadas nos edifícios há uma parte da torre de Porta Ticinese que remonta às primeiras muralhas do primeiro século.



- Restos dos muros Maximianas entre alguns edifícios na Via Montenapoleone, no pátio do Museu Arqueológico em Corso Magenta está uma torre poligonal (24 lados) parte do trecho oeste das paredes, e no porão do Grand Hotel di Milano foi encontrado e já restaurado uma parte da fundação da muralha.




Além disso, há algumas evidências das muralhas medievais, sobretudo a Pusterla de Santo Ambrósio (uma das portas menores) do século XIII. O portão, construído em tijolo em uma base em um tipo de rocha, tem dois arcos e ao lado da entrada há duas torres, uma das quais abriga um museu.



As outras portas ainda completamente ou parcialmentee de pé são a antiga Porta Nuova, datada do século XII, no início da Via Manzoni, Porta Ticinese, os restos de Porta Romana localizada no subsolo dos dois edifícios no cruzamento da Corso di Porta Romana e via Sforza.

Dos muros ainda permanecem cerca de 20 metros na Via San Damiano.



Assim também para a muralha espanhola, se vê alguns vestígios na praça Medaglie d'Oro  ao longo do Viale Vittorio Veneto, e ao longo do anel pequeno (piccola circonvallazione) , que na verdade é também chamado de "muralhas da cidade espanhola."



Durante as obras para a estação Missori do metrô foram encontradas calçadas e outros vestígios da era Romana, tudo agora é exposto nos próprios corredores da estação de metrô.





Respirando história, compartilhando com vocês um pouco da história de Milão!

Baci a tutti!

30/10/2012

Os muros de Milão

Falamos nos últiimos posts da série "Milão dividida" sobre os muros. Existem muitos muros em Milão, muitos ainda intactos como vimos.
Hoje vou falar pra vocês da história desses muros.
Milão foi murada mais de uma vez, em áreas diferentes.
Os  muros são:

- Muros romanos - da época Romana
- Muros medievais - da época medieval
- Muros espanhóis - da época do domínio espanhol.

MUROS ROMANOS

Os muros romanos não foram feitos circularmente, mas sim como um quadrado, o modo que a arquitetura Romana impunha.
Os muros romanos são divididos em:


- muros republicanos - cerca 49 a.C. E foi a primeira vez que a cidade de Milão foi murada. As portas desta muralha eram:   Porta Romana;  Porta Ticinese, Porta Vercellina, Porta Orientale, Porta Jovia e Porta Cumana.

- muros maximinianos - da idade imperial, quando Milão tornou-se capital do Império Romano do Ocidente. Foi então que Maximinano mandou expandir os muros compreendendo um vasto território a leste, e acrescentou mais 2 portas: Porta Nuova e Tonsa al Verziere.



MUROS MEDIEVAIS

De 1156 começou uma reforma da muralha. O novo projeto, previa um fosso, com águas dos rios Seveso e Nirone,  com algumas pontes e portas de madeira. Mas depois de 10 anos, nem isso, Federico Barbarossa destruiu tudo e lá em 1171 recomeçaram uma nova construção. Nada de madeira, mas tudo concreto. Com 7 portas principais: Porta Romana, Porta Ticinese, Porta Vercellina, Porta Orientale, Porta Jovia, Porta Cumana e Porta Nuova, e também outras 1/12 portas menores, chamadas de Pusterla: 
Esse "cinturão" representava o urbanismo final da cidade, o fosso construído e melhorado anos mais tarde, são o que formaram depois a "cerchia dei navigli" (os canais).



 MUROS ESPANHÓIS

A construção da última muralha foi ideia do governador espanhol  Ferrante Gonzaga, em 1546 em nome de Fillipo II da Espanha. A base da ideia era unicamente militar, o muro tinha objetivo de proteger a cidade antiga, os pequenos bairros e áreas cultivadas que poderiam servir de reserva para o desenvolvimento futuro da cidade.
A nova "cerchia dei bastioni" cobria uma parte muito mais ampla da cidade. Os trabalhos começaram em 1549 e só foi concluída 11 anos depois.


Com a conclusão do muro, ficou clara a separação de campo e cidade, limitando as portas de acesso, mas também foi muito admirada pela técnica de construção utilizada, como um ótimo sistema de defesa.

A muralha era constituída de altíssimo muro com torres  e claro as portas, que tornaram-se 11 no total: 
  •  Porta Romana- Porta Tosa, hoje Porta Vittoria
  •  Porta Orientale, de 1860 Porta Venezia 
  •  Porta Nuova 
  •  Porta Comasina, de 1860 Porta Garibaldi
  •  Porta Tenaglia, hoje Porta Volta 
  •  Porta Sempione, antes Porta Giovia, correspondente ao Castello
  •  Porta Vercellina, depois de 1859 ribatizada 'Porta Magenta'
  •  Porta Ticinese, antes com Napoleone chamada  'Porta Marengo' 
  •  Porta Lodovica
  •  Porta Vigentina

Bem, é isso aí!
No próximo post vou falar o que resta dos muros (fora as portas que já vimos nos posts anteriores).
Baci a tutti!

29/10/2012

Milão dividida - Zonas 8 e 9

Zona 8

A zona 8 compreende os bairros: Porta Volta, Bullona, Ghisolfa, Fiera, Il Portello, Cagnola, Quartiere Campo dei Fiori, Villapizzone, Quartiere Varesina, Boldinasco, Garegnano, Musocco, Quarto Oggiaro, Vialba, Roserio, Cascina Triulza, Quartiere T.8 o Q.T.8, Lampugnano, Quartiere Comina, Quartiere Gallaratese (I e II), Quartiere San Leonardo, Trenno.

De área verde são 6 parques.

As estações de metrô são:
  • Linea M1: Amendola, Bonola, Buonarroti, Lampugnano, Lotto, Molino Dorino, QT8, San Leonardo e Uruguay.
E as de trem: 
  • Ferrovie Nord: Quarto Oggiaro.
  • Ferrovie dello Stato: Certosa e Villapizzone
É a zona do Cemitério "Maggiore", o maior da cidade de Milão, construído em 1895. São 678 mil m², dos quais 80 mil é jardim.


É onde está também a Fieramilanocity, local para exposições, eventos, etc. São diversos pavilhões num total de 40 mil m². O Fieramilanocity é um dos polos feirísticos de Milão e o que tem a arquitetura mais "estranha".

 

 E também o projeto Citylife, de requalificação do bairro, com parques, museus, e caracterizado por 3 prédios (também residenciais) altíssimos e modernos, assinados pelos arquitetos Hadid, Libeskind e Isozaki.


Zona 9

Compreende os bairros: Porta Garibaldi, Porta Nuova, Centro Direzionale, Bovisa, Isola, La Fontana, Montalbino, Segnano,Bicocca, Fulvio Testi, Ca' Granda, Prato Centenaro, Niguarda, Dergano, Affori, Bruzzano, Comasina, Bovisasca.

São 5 parques entre eles o enorme Parco Nord, de 3.200.000 m² (compreendendo cidades metropolitanas).

As estações de metrô são:
  • Linea M2: Gioia, Porta Garibaldi
  • Linea M3: Affori Centro, Affori FN, Comasina, Dergano, Maciachini, Zara.
E as de trem: 
  • Ferrovie Nord: Bovisa-Politecnico, Affori e Bruzzano.
  • Ferrovie dello Stato: Lancetti e Porta Garibaldi.
Ali estão campus das universidades Politecnico di Milano (engenharia e arquitetura) e da Bicocca com vários campus dentre eles Fisica e Biotecnologia.

Estão as Portas Garibaldi e Nuova, respectivamente nas fotos a seguir:

                                

É nesta zona que fica o hospital Niguarda, um dos maiores e mais importantes de Milão.


Então é isso!
Milão dividida, a série, acabou por aqui.
Logo mais quero falar sobre Milão Murada, todos os muros que já existiram em Milão.
Baci a tutti!

26/10/2012

Milão dividida - Zonas 6 e 7

Zona 6

A zona 6 de Milão compreende os bairros (quartieri): Porta Ticinese, Porta Genova, Conchetta, Moncucco, Barona, Quartiere Sant'Ambrogio, Quartiere Cascina Bianca, Boffalora, Quartiere Teramo, San Cristoforo, Quartiere Lodovico il Moro, Ronchetto sul Naviglio, Foppette, Quartiere Villa Magentino, Arzaga, Giambellino, Lorenteggio, Villaggio dei Fiori, Creta.

Como área verde tem 7 parques e as linhas de metrô são:
  • Linea M1: Bisceglie, Inganni e Primaticcio.
  • Linea M2: Famagosta, Porta Genova e Romolo.
Tem também 3 estações de trem: Porta Genova, Romolo e San Cristoforo.

Em fronteira com a zona 5, dividem parte do bairro de Porta Ticinese, e pega toda a área do canal   Naviglio Grande. É o canal navegável da Lombardia que nasce pegando água do rio Ticino na cidade de Tornavento e termina em Milão. Tem um desnível de 34 metros e quase 50 km de comprimento. E é em Milão, que o canal é mais famoso, uma área aconchegante, cheia de barzinhos que antes era dominada só por artesãos, com suas lojinhas e estúdios... Fazer um aperitivo por ali é bom demais!


Zona 7

Já a zona 7 compreende os bairros: Porta Magenta, Fopponino, La Maddalena, San Siro, Quartiere Harar, Quartiere Vercellese, Quarto Cagnino, Quinto Romano, Figino, Forze Armate, Baggio, Quartiere Valsesia, Quartiere degli Olmi, Assiano, Muggiano.

É considerada a zona mais verde de toda Milão, com 8 grandes parques.

As estações de metrô são:
  • Linea M1: Conciliazione, Pagano, Wagner, De Angeli, Gambara, Bande Nere, Primaticcio, Inganni e Bisceglie.
Um dos bairros desta zona, Baggio é o mais antigo bairro de Milão. Hoje em dia mal visto por ser periférico e cheio de estrangeiros. Graças ao Conselho desta zona, foi reintroduzida a Corsa degli Asini (corrida dos burros), criada em 1600.


E na zona 7 que está o grande e famoso estádio de Milão, o San Siro.Nome oficial: Stadio Giuseppe Meazza, mais de 80 mil lugares, tem um museu que conta a história do Inter e do Milan, e é palco de vários shows, além das partidas de futebol!


E no próximo posts, as zonas 8 e 9 pra fechar a série Milão Dividida! 
Baci a tutti!


25/10/2012

2 anos de Itália! E outro selinho....

2 anos.
2 anos lutando pelos sonhos, vivendo-os, curtindo-os...
Pois é, o tempo passa, e mais rápido do que esperamos ou imaginamos.

2 anos mas ainda tem muito a ser realizado, muito a ser vivido...



E vêm muitas mudanças por aí também!
Por enquanto é tudo muito incerto, nebuloso...

Mas quando tudo clarear, contarei para vocês! Óbvio!

Aproveito aqui para agradecer à Lana, do Desenhos na Calçada, por me presentear com um selinho, o Prêmio Dardos. Lana, amiga virtual, que gostaria muito de conhecer pessoalmente, carinhosa, especial! Obrigada, beijos pra você!



"O Prêmio Dardos foi criado pelo escritor espanhol Alberto Zambade que, em 2008, concedeu no seu blog "Leyendas de El Pequeño Dardo” o primeiro Prêmio Dardo a quinze blogs selecionados por ele. Ao divulgar o prêmio, Zambade solicitou aos blogs premiados que também indicassem outros blogs ou sites considerados merecedores do prêmio. Assim a premiação se espalhou pela Internet.

Segundo o seu criador, o Prêmio Dardo destina-se a “reconhecer os valores demonstrados por cada blogueiro diariamente durante seu empenho na transmissão de valores culturais, éticos, literários, pessoais etc., demonstrando, em suma, a sua criatividade por meio do seu pensamento vivo que permanece inato entre as suas palavras”.

As regras do prêmio estabelecem que os indicados, depois de dizerem quem os presenteou, poderão exibir no seu blog/site o selo do prêmio e deverão indicar outros dez, quinze ou vinte blogs ou sites que preencham os requisitos acima para o recebimento do prêmio."

E assim, indico aqui alguns blogs merecedores, blogueiras que estão lutando por seus sonhos e compartilhando um pouquinho deles conosco, assim como a mim. 

-Viver Plenamente Paris, da Milena , em Paris - França
-Rindo de Mim Comigo, da Eve, em Berlim - Alemanha
- Fondue e Chocolate, da Sandra, na Suíça
- Coisa Parecida, da Glenda na Espanha
- Me Ache em Roma, da Valéria em Roma - Itália
- La Nostra Italia, da Juliana, Itália
- Conexão Madrid, da Sandra na Espanha
- Um pra galera geral que escreve no Brasil com Z, brasileiros espalhados pelo mundo.

E para quem eu não citei diretamente, mas que compartilha um sonho no mundo dos blogs! Fique à vontade para receber o selinho! 

Baci a tutti!


22/10/2012

Milão dividida - Zonas 4 e 5

Zona 4

A Zona 4 é a área de Porta Vittoria, Porta Romana, Forlanini, Monluè e Rogoredo.

Tem 6 parques e as estações de metrô são:

  • Linea M3: Brenta, Corvetto, Lodi TIBB, Porto di Mare, Rogoredo FS, e San Donato.
E também tem 3 estações ferroviárias: Porta Vittoria, Porta Romana e Rogoredo.

Porta Vittoria era uma das  quatro Portas de Milão (succursali). Construída em 1861, mas hoje não existe mais o arco, estão conservados só  as construções laterais  " i caselli", onde fica a Piazza Cinque Giornate. A praça tem esse nome pois foi de 18 a 22 de março de 1848  que Milão ganhou liberdade do Imperio Austríaco.

  

Já Porta Romana, é uma das 6 portas principais. Construída em 1596 e está intacta!


Zona 5

Compreende Porta Ticinese, Porta Lodovica, Vigentino, Chiaravalle, Gratosoglio

De área verde são 4 parques, e tem uma só estação de metrô: Abiategrasso.

Porta Ticinese é também uma das 6 portas principais, chamada pelos milaneses de Cicca (pequenininha). Foi destruída (em 1162)  e reconstruída posteriormente. Com a construção dos muros a partir de 1549, a Porta Ticinese foi construída em outro local, hoje Piazza XXIV Maggio (segunda foto).

              


Depois de apresentar todas as Zonas de Milão, explicarei sobre os muros e as "tais" portas de Milão. Assim vocês entenderão melhor.

Baci a tutti!


19/10/2012

Milão dividida - Zonas 2 e 3

Zona 2

A Zona 2 é a zona onde fica a Estação Central de Milão (Stazione Centrale), uma das mais importantes da Europa.

         


Tem 8 parques "espalhados" por ela, sendo o maior o Parco della Martesana, que "beira" o canal Martesana (Naviglio Martesana) e tem quase 157 mil m², chegando a ocupar parte da Zona 9 também.

É nesta zona que fica a Via Padova, já escrevi aqui sobre ela, cheia de imigrantes e suas lojinhas (brasileiro aqui encontra de tudo que não encontra em outros supermercados: pão de queijo, farofa, mandioca, guaraná Antartica, côco ralado, leite condensado, etc).

Pra quem gosta de teatro, é nesta área que fica o moderno  Teatro Arcimboldi.

            

As estações de metrô são:
  • Linea M1: Gorla, Pasteur, Precotto, Rovereto, Sesto Marelli, Turro e Villa San Giovanni.
  • Linea M2: Centrale FS.
  • Linea M3: Centrale FS, Repubblica e Sondrio.
E as de trem são Centrale e Repubblica.

Zona 3

Já na Zona 3, é a zona da Porta Venezia, uma das 6 portas principais de Milão, construída em 1827.



Também se encontra  a Città Studi com a Politecnico di Milano e também alguns campus da Statale (Università di Milano -  comeo Medicina, Veterinária, Farmácia, Odontoiatria, Agrária, Scienze matematiche, fisiche e naturali).



Tem 2 grandíssimos parques, o Lambro de 930 mil m², que leva o nome do Rio que atravessa todo o parque, e também o Maserati, de 110 mil m², que ocupa a antiga área industrial da Maserati e outras indústrias.

Pra quem é ligado em moda e adora fazer "shopping", é nesta zona que fica a Corso Buenos Aires, recheada de lojas para todos os gostos!

As linhas de metrô são:
  •  M1: Lima, Loreto e Porta Venezia.
  •  M2: Caiazzo, Cascina Gobba, Cimiano, Crescenzago, Lambrate FS, Loreto, Piola e Udine.
Já as de Trem são a Dateo, Lambrate e Porta Venezia.

É isso aí! 
Nos próximos posts mais um pouquinho de Milão!

Baci a tutti!

18/10/2012

Milão dividida - Zona 1 (2ª parte)

Depois de saber um pouco da Zona 1, o centro histórico de Milão, seus parques e tudo o mais, hoje vou completar o post anterior, dando dicas do que não se pode deixar de conhecer no centro de Milão!

- Castello Sforzesco - Já publiquei vários posts que fala dele e seus preciosos museus. A relação dos milaneses com o Castello Sforzesco é um sentimento de amor e ódio, por causa das vicissitudes turbulentas que lhe fizeram tão famoso. Durante séculos, a Castelo Sfrozesco  foi a estrela de eventos dolorosos e para os milaneses tornou-se o insuportável símbolo da repressão praticada pelos Senhores de Milão ou conquistadores estrangeiros. Finalmente, no século XX, o Castelo mudou a cara e assumiu a aparência de um lugar reconfortante de cultura, usado para proteger a arte. O nome do castelo se refere ao líder italiano e duque de Milão, Francesco Sforza, que em 1450 queria reconstruir toda a estrutura. As origens do Castelo, no entanto, são ainda mais longe: foi construído na segunda metade do século XIV, a mando de Galeazzo Visconti II, Senhor de Milão. Atualmente, o Castello Sforzesco é rico em museus: o andar térreo do Tribunal Ducal é o Museu de Arte Antiga, o primeiro andar da coleção de mobiliário e galeria de arte, o primeiro e segundo andar do Rocchetta há coleções de arte aplicada e o Museu de Instrumentos Musicais, no porão do Tribunal Ducal há o Museu de Pré-História e História Antiga e o Museu Egípcio.


- Duomo di Milano - O que poderia ser mais representativo de Milão, se não o Duomo? A igreja dedicada a Santa Maria Nascente, construído a mando de Gian Galeazzo Visconti, é o símbolo da cidade. O trabalho na Catedral de Milão começou em 1386 e favoreceu a criação de um belo monumento, com maravilhosos vitrais e belas esculturas ornamentais. Esta magnífica propriedade é o testemunho mais importante da arquitetura gótica, que não deixa margem para dúvidas: é o único que combina características nórdicos e elementos lombardos. A beleza da catedral é completado pela torre onde está a estátua de Madonna famoso de cobre dourado, de 4 metros de altura. Se você visitar a igreja em um belo dia de sol, pode desfrutar de uma vista maravilhosa do terraço sobre a cidade e os Alpes Dentro você não vai perder o presbitério, apresentado no segundo semestre de 500. No Duomo também está a relíquia do Sacro Chiodo della Croce. Só para dar um pouco de números: Há 3.500 estátuas na catedral, incluindo os 96 gigantes gárgulas, e que a estrutura é 157 metros de comprimento, 92 metros de largura e que a torre é 108,50 de altura.



 - Galleria Vittorio Emanuele - A famosa Galleria Vittorio Emanuele II, foi construída porque na primeira metade do século XIX, a cidade olhava com inveja a evolução das grandes capitais urbanas da Europa e queria estar à altura. Em 1859, a ideia de uma passagem coberta que ligava a Piazza Duomo e Piazza della Scala tornou-se mais concreta e foi uma competição internacional para avaliar as propostas de vários arquitetos. Bem 176 arquitetos propuseram suas ideias e se destacou entre todos o Mengoni Giuseppe, que pensou em um longo túnel atravessando por um braço com uma grande sala octogonal no meio do cruzamento. Em 1865, o trabalho começou com a organização da primeira pedra diretamente pelo rei Vittorio Emanuele II de Savoia, e dois anos depois a galeria foi aberta, embora ainda incompleta e sem a presença do rei. Mas a construção da Galleria Vittorio Emanuele II é um epílogo trágico: seu criador, Giuseppe Mengoni, morreu durante uma inspeção em sua "criação" própria. Muitos não achavam que tinha sido um acidente, mas sim um suicídio real, devido às inúmeras críticas do seu trabalho e da decepção causada pela ausência do rei na abertura: ninguém poderia imaginar que o rei estava mal de saúde e ele morreu poucos dias depois. A Galeria está agora cheia de lojas de marcas famosas, bares e restaurantes.



 O Cenáculo de Leonardo da Vinci - A Última Ceia de Leonardo da Vinci, é cuidadosamente guardada no refeitório do convento dominicano de Santa Maria delle Grazie, em Milão. Leonardo pintou esta obra de beleza estonteante na parede norte do corredor entre 1494 e 1498, durante o governo de Ludovico il Moro. O gênio Leonardo fez esta obra-prima "seca", em vez de a técnica do afresco normalmente usado para pinturas de parede. Infelizmente, ao longo do tempo, por causa das condições ambientais e de acontecimentos históricos, a obra sofreu uma pesada deterioração. Houve numerosas obras de restauração na Última Ceia, e, especialmente, o de 1999, voltou às suas cores originais pintadas e removeu a pintura das restaurações anteriores. Para evitar que a pintura seja ainda danificada, é mantida sob condições ambientais especiais, determinados pelo tratamento, e podem ser visitadas apenas por grupos de até 25 visitantes de cada vez, a cada 15 minutos. Vejam o post sobre a visita que eu fiz clicando aqui.


- Pinacoteca di Brera - O Palácio de Brera foi construído em um convento do século XIV, antigo do grupo dos Humilhados e mais tarde foi concedido aos jesuítas, que fundaram uma escola. Só no início do século XVII, o Palácio adquiriu um ar sóbrio e majestoso, graças ao trabalho de Francesco Maria Ricchini. Em 1773, após a dissolução da Ordem dos Jesuítas, o Conselho de Brera tornou-se propriedade do Estado e tornou-se o lar de algumas das mais importantes instituições culturais da cidade, por ordem da imperatriz Maria Teresa da Áustria. Um dos atores mais famosos do neoclassicismo na Itália, Giuseppe Piermarini, tomou o lugar da biblioteca, o portão de entrada imponente na Via Brera e da conclusão do pátio, no centro do qual está uma estátua de Napoleão como Marte, o Pacificador. Ao longo dos pátios do século XIX, varandas, corredores e vestíbulos foram projetados para acomodar monumentos que glorificam benfeitores públicos, artistas, homens de ciência e cultura relacionados com a história de Brera. A Pinacoteca di Brera, nasceu em 1776 e era para ser uma coleção de obras significativas para a formação dos estudantes, mas, quando Milão foi declarada capital do Reino da Itália, tornou-se um museu cheio de pinturas de todos os territórios capturados pelo exército francês. A Pinacoteca di Brera é diferente de então outros prestigiados museus italianos, como a Galeria Uffizi, por exemplo, porque não se origina a partir da coleção particular da aristocracia e dos princípios, mas do Estado e da política. Os ativos da galeria cresceu e cresceu até os anos setenta, quando foi enriquecida por algumas coleções de incrível beleza dos artistas mais importantes do século XX, como Modigliani, Morandi, Carrà e Braque. Para rever o post sobre a minha visita lá clique aqui.



E tem muito mais, pra não acabar mais o post, por isso vou só citar: Museu Arqueológico, Museo del Novecento, Museu Leonardo da Vinci, Museu Poldi Pezzoli, o Teatro Scalla, as Colunas de São Lourenço que falei há alguns dias atrás, etc. 

Ah! Não dá pra perder também a Piazza Affari, com o inusitado Dito Medio Alzato di Maurizio Catellan. Que acabou de ganhar mais 40 anos de permanência em frente à Bolsa de Valores! 



Ruas da moda? Via Torino, Via Montenapoleone, Corso Vittorio Emanuele e a imensa loja de Giorgio Armani na Via Borgonuovo já são algumas dicas!

Por hoje é só! 
No próximo post vamos falar o que se encontra de especial nas outras zonas de Milão!

Baci a tutti!

17/10/2012

Milão dividida - Zona 1 (1ª parte)

A Zona 1 de Milão, é o centro histórico! O "miolinho" de Milão.


Tm 9,67 km², uma população de pouco mais de 97 mil habitantes,  "abriga" 18 estações de Metrô e 1 estação Ferroviária (Milano Cadorna).

No centro histórico, existem 6 parques com "atrações" imperdíveis:

- Parco Sempione - o maior de todos, com 386 mil m², é o parque do Castello Sforzesco. Abriga o Palazzo dell'Arte (hoje sede da Università Triennale di Milano); o Acquario di Milano e a Arena Civica.



- Giardini Pubblici Indro Montanelli - Em Porta Venezia, abriga o Planetário, o Museu de História Natural e também o Palazzo Dugnani, histórico palácio de 1600 que hoje abriga o Museu do Cinema. Abriga também uma estátua de Indro Montanelli (famoso jornalista italiano).



- Parco delle Basiliche - Liga a Basílica di San Lorenzo com a Basilica di Sant'Eustorgio.



- Giardino della Villa Reale di Milano - São 24 mil m²  de área. Abriga a Galleria d'Arte Moderna di Milano (agora chamado Museo dell'Ottocento)

 

- Giardino Perego - É o menor parque de Milão, com pouco mais de 4 mil m². 



- Giardini della Guastalla - O parque público mais antigo de Milão, nato em 1555. Abriga ainda no estilo barroco, um lago para pesca, de 1600. 


Pra quem achava que Milão era uma "simples cidade grande" tá enganado! É cidade grande, mas também é história e principalmente, é verde!

Milão Zona 1, tem muito a oferecer... o restante vai ter que ficar num próximo post!

Baci a tutti!

15/10/2012

Milão dividida!

Administrativamente, desde 1999, Milão é dividida em 9 zonas (zone/quartieri). Antes a divisão era de 20 zonas.
Essa divisão é habitualmente utilizada para localização em anúncios de empresas, empregos, etc.



Zona 1 - Compreende todo o centro histórico de Milão, como a  Piazza Duomo, Cerchia dei Bastioni Spagnoli, os bairros de Porta Magenta, Porta Tenaglia, Porta Sempione e Arco della Pace, Papiniano, San Vittore, Parco delle Basiliche, Carrobbio, Giardini Pubblici, Repubblica, Crocetta, Guastalla, Il Ticinese, Basilica di Sant'Ambrogio. 

Zona 2 -  Compreende: Porta Nuova, Centrale, Ponte Seveso, Loreto, Maggiolina, Villaggio dei Giornalisti, Crescenzago, Adriano, Breda, Cassina di Pom, Greco, Gorla, Turro, Precotto, Padova.

Zona 3 -  Città Studi, Lambrate, Porta Venezia, Porta Monforte, Parco Lambro, Ortica, Feltre, Casoretto, Corelli, Rottole, Cimiano, Carnia, Naviglio Martesana.

Zona 4 - Cavriano, Calvairate, Monluè, Taliedo, La Treccia, Porto, Gamboloita, Nosedo, Corvetto, Rogoredo, Santa Giulia, Morsenchio, Forlanini, Omero, Mazzini, San Luigi, Porta Vittoria, Porta Romana, Libia.

Zona 5 - Os bairros de Porta Ticinese, Porta Vigentina, Porta Lodovica, Conchetta, Vigentino, Ortles, Quaranta, Morivione, Spaventa, Stadera, Torretta, Meda, Conca Fallata, Vaiano Valle, Chiaravalle, Selvanesco, Gratosoglio, Casenuove, Macconago, Quintosole, Ronchetto delle Rane, Chiesa Rossa, Ferrari, Naviglio Pavese, Vettabbia, San Gottardo, Ravizza, Ohm, Ripamonti,.

Zona 6 - Darsena, Magolfa, Solari, San Gimignano Quartiere Ebraico, San Gimignano Quartiere Giapponese, San Cristoforo, Moncucco, Lorenteggio, Dazio del Lorenteggio, Molinetto del Lorenteggio, Giambellino, Restocco Maroni, Ronchetto sul Naviglio, Boffalora, Cascina Bianca, Cascina Cantalupa, Sant'Ambrogio, Bisceglie, Inganni, Frattini, Naviglio Grande, Barona, Santa Rita, Legioni Romane, Foppa e Porta Genova.

Zona 7 - Porta Vercellina, Aquileia, Piemonte, Washington, Ippodromi, Marghera, Brescia, Siena, Forze Armate, Baggio, Saint Bon, San Carlo, Valsesia, Quinto Romano, Quarto Cagnino, Selinunte, San Siro, Figino, Assiano, Muggiano, Novara, Marx e Bellaria.

Zona 8 - Bairros de Sempione, Bullona, Fiera, Monumentale, Porta Comacina, Cenisio, Chinatown, Ghisolfa, Cagnola, Il Portello, Monte Stella, Boldinasco, Q.T.8, Gallaratese I°, Gallaratese II°, Bonola, Ghisallo, Trenno, Lampugnano, Garegnano, Vialba, Certosa, Quarto Oggiaro, Belgioioso, San Leonardo, Accursio, Musocco, Porta Volta e Villapizzone.

Zona 9 - Centro Direzionale, Gioia, Isola, Zara, Lancetti, Dogana, Farini, Bovisa, Bovisasca, Dergano, Derganino, Montalbino, Prato Centenaro, Niguarda, Cà Granda, Affori, Comasina, Segnano, Bicocca, Sarca, Fermi, Maciachini, Bruzzano, Parco Nord, Seveso e Astesani .

Nos próximos posts vou falar o que tem de interessante para conhecer em cada uma das zonas de Milão.

Baci a tutti!

12/10/2012

Colonne di San Lorenzo

As Colunas de São Lourenço são uma antiga construção da época romana de Milão. Em frente da basílica de São Lourenço, perto da Porta Ticinese medieval, é um dos raros monumentos da Milão imperial que sobreviveram no tempo.

A estrutura em 1935
São 16 colunas em mármore que sustentavam um edifício do 3º século! Foram transportadas para o local atual, na Basílica, no 4º século.


Hoje o que resta de toda a estrutura, depois de guerras, fascismo e tudo o mais, são orgulho e de grande valor afetivo pelos milaneses. 


Na parede das colunas está a Lápide de Lucio Vero, datada de 167 dC. Lucio Vero governou o Império Romano juntamente com seu "irmão de adoção" Marco Aurélio.


É é ali, todas as noites, que acontece as noites mais "descoladas" de Milão. Repleto de barzinhos, servindo aperitivo, cheia de gente jovem, na sua maioria estudantes em Milão.



Conhecer Milão sem passar por lá é um desperdício! 
Eu pelo menos adoro lugares cheios de história pra contar!
E vocês??

Baci a tutti!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...