13/01/2017

Gravidez e aborto na Itália

No artigo anterior contei sobre a descoberta da minha gravidez. 
Falei do "pânico, terror e aflição" com a notícia e todas as coisas que passaram na minha cabeça. Inclusive sim,  por desespero e por desequilíbrio emocional, a opção do aborto, ato que é legalizado na Itália. 

Mas como funciona?

A Legislação italiana antes de 1978 colocava como crime a interrupção voluntária da gravidez (IVG), mas com a implementação da Lei 194, daquele ano, o aborto voluntário foi descriminalizado, podendo ser efetuado até o 3º mês de gestação em hospitais públicos italianos, e no 4º ou 5º mês em caso de natureza terapêutica (quando tem risco para a mãe, e na detecção de má formação e outras anomalias, inclusive quando se é detectada a possibilidade de Sindrome de Down).

Porém, a lei deixa bem clara a questão de que a IGV não é método de controle de natalidade, nem método contraceptivo. Toda gestante atendida na rede pública de saúde tem acompanhamento desde o início da gestação, apoio psicológico e médico, onde se esclarecem os direitos, deveres, benefícios, sugestões de apoio às gestantes com dificuldade financeira, situação familiar delicada, entre outros casos, tudo para evitar que a escolha seja o aborto, e que no fim, se a escolha da mulher for o de interromper a gestação, seja de uma forma totalmente consciente e segura.

O aborto voluntário em uma mulher menor de idade, por Lei, necessita de autorização dos responsáveis para ser realizado. A identidade da mulher pode ser mantida no anonimato.

Há a opção ainda da mulher escolher levar avante a gravidez e, após o parto, entregar o bebê para adoção (processo gerido pelo serviço social do próprio hospital).

Objeção dos médicos e dados estatísticos

Parece tudo ótimo, não? Mas não é bem assim. Existe a "obiezione di coscienza", ou seja, o direito de médicos, obstetras e enfermeiros de negar a execução do procedimento abortivo, mesmo que seja previsto em Lei. E num país católico isso é muito frequente, faltando, portanto, profissionais que o fazem e levando à filas de espera longuíssimas que, no fim, fazem com que as mulheres ultrapassem o período permitido por lei para a interrupção da gravidez. E o pior: em consequência, aumenta o número de procedimentos realizados clandestinamente.




Quase 70% dos médicos obstetras aderem atualmente ao direito à objeção e quase 50% de todos os anestesistas e também o mesmo percentual dos profissionais não médicos. Em algumas regiões esse percentual é ainda mais expressivo, como as regiões de Molise e Basilicata, chegando a 90 e 80% respectivamente para médicos e anestesistas/outros profissionais.

Segundo o Istat e o Ministero delle Salute, em 2013 foram realizados quase 103 mil abortos legais no país, uma taxa de 7,6% de abortos a cada 1000 gestações, 4% menos do que no ano anterior. Em 2014 pela primeira vez esse número foi abaixo dos 100 mil, e a tendência é baixar. Porém, o número de abortos clandestinos foram estimados em 20 mil em 2013 e em 2014 a estima é entre 12 e 15 mil casos. E quando se fala em aborto clandestino se fala em correr inúmeros riscos, ter complicações, sequelas para a vida toda e para não dizer casos de morte.

Mesmo com todos esses números, a Itália é um dos países ocidentais com menor taxa de abortos realizados e este número diminui a cada ano.

Acontecem frequentemente manifestações populares a favor de mudar a Lei 194, tirando a cláusula da questão da "objeção consciente" e tornando então "obrigatório" o procedimento pela equipe médica hospitalar, o que aumentaria a disponibilidade na realização do aborto legal e seguro no país.
Ano passado o Hospital San Camillo de Roma causou polêmica ao abrir um processo seletivo somente para médicos que não fossem adeptos à objeção. 

Por sua vez há também protestos contra o aborto, o que também não é novidade num país tão católico.

O mais importante é que a laicidade prevalece em solo italiano e, que tudo evolui no sentido do direito da escolha e da total tutela do estado à saúde, em todas as suas formas, inclusive na escolha de interromper uma gravidez.


O meu direito de escolha

Como disse anteriormente, minha escolha foi ter o bebê e, não acredito que teria coragem de abortar, mas sou a favor de que se uma mulher se decide pelo aborto, o estado tem que tutelar, o procedimento deve ser feito em segurança, afinal o estado é laico e cada um que cuide da sua vida e faça as próprias escolhas pra sua vida. 

E estou aqui, gravidíssima, esperando o gestação saudável da Laura (sim, é menina!).

Se você está na Itália numa situação do tipo, converse com seu médico de base, ou vá direto a um hospital (em Roma, no San Camilo, atendem com dia e hora específicos casos de gravidez e possível opção de aborto), procure uma orientação. 

Nos próximos artigos continuarei contando as fases dessa gravidez, exames, agenda da gravidez, exames invasivos (fazer ou não fazer) e muito mais!

Alla prossima!
Baci a tutti!

09/01/2017

Estou grávida na Itália, e agora?

Ser mãe sempre foi um sonho meu. 
Mas um sonho que sempre quis planejar, tanto que cheguei aos 35 sempre adiando, esperando o melhor momento, profissionalmente, financeiramente, emocionalmente, enfim... 
Porém o destino uma hora me disse: Carla, não adianta, não foi porque você programou, mas sim porque não era hora! Agora chegou sua hora!

E lá me vi com a menstruação atrasada. Como foi possível? Tomei sempre tanto cuidado!
Comprei um exame destes de farmácia (existem milhões de tipos, inclusive o que informa de quantas semanas está grávida) e pronto.


Cá me descobri grávida!
E agora?

Pânico, terror e aflição, sim (sempre repito essas palavras ditas pro Elba Ramalho na gravação do O Grande Encontro, quem gosta?).
Sim, pânico, terror e aflição porque não planejei!
Porque estava em um relacionamento recente, depois de um ano e meio quase na "nova solteirice", depois de um relacionamento longo 12 anos (sem nunca engravidar...) ...
Porque estava (estou) terminando um doutorado, ou seja, sem emprego... 
Porque meu destino era ainda tão imprevisível: Itália--Brasil--desemprego--emprego--pós-doutorado...
E agora josé!?


02/01/2017

2017 e mais sonhos que se realizarão!!!

No meu Facebook pessoal publiquei no fim de ano um post falando sobre o que via por ali, a maioria das pessoas e "memes" só reclamando do ano de 2016. 
E eu, pessoalmente, não tenho nada a reclamar deste ano que passou. 

Apesar de não ter publicado muito no blog (foram só 46 artigos o ano todo), por conta da correria da vida, principalmente do doutorado, 2016 foi um ano muito produtivo para mim e prometo ainda publicar muita coisa do que aconteceu nele por aqui. 

2016 foi o ano que mais viajei: fui pra Dublin na Irlanda; Amsterdam, Zaandam, Zaanse Shans e Harlem na Holanda; Barcelona, Málaga, Granada, Cordoba, Sitges, Nerja, Ardales e Torremolinos na Espanha (com direito a um inédito topless kkkkk); Kaunas e Vilnius na Lituânia; viajei também dentro da Itália, e não faltou vontade de viajar mais! 



2016 foi também um ano de muitas amizades (novas e velhas), muitas risadas, muita diversão, muito samba, muita música, muitos encontros e reencontros (além dos desencontros).


06/12/2016

O que vem por ai...

Mais um ano chegando ao fim. 
São já 6 anos de Itália!!

Muitas coisas aconteceram até aqui e, nos últimos dois anos que estive um pouco ausente, outras tantas aconteceram. Minha vida mudou completamente e tenho muita coisa para contar. Mas antes, preciso concluir um sonho que tá se realizando e vocês já conhecem: o meu Doutorado em Química. 

Estou em pré-defesa e por isso, peço mais um pouco de paciência e vibrações positivas da parte de vocês pois está acabando!!!

E virão muitos artigos por aí. Principalmente sobre uma nova fase que estou entrando, a realização de outro sonho. 
Afinal, sonhos foram feitos para ser sonhados mas, sobretudo, realizados!

Quem advinha qual é esse sonho???




Que venha 2017!!
Auguri a tuti!

30/06/2016

Roma - Todo dia é dia de feira!!!


Todo dia é dia de feira!

Porta Portese
Sim! A Itália é um país que mantém muitas tradições e, as feiras de rua (em italiano mercato/mercati) são a paixão nacional. 
São centenas delas espalhadas pela cidade. 
Cada bairro tem a sua feira com seus dias específicos (como acontece no Brasil - ou acontecia!).

De frutas frescas à vestuário, as feiras romanas são imperdíveis.

Alguns são mais famosas e maiores que outras. Alguns ainda são em datas esporádicas (1 ou 2 vezes na semana), outros ganharam espaço fixo (muitas vezes coberto) e com abertura diária.

A grande diferença entre as feiras brasileiras e as italianas é que nas italianas se encontra muito mais artigos de vestuário e coisas pra casa do que frutas, verduras e hortaliças. Em algumas ainda se encontram objetos antigos e muita bugiganga (quase como um mercado de pulgas).

Alguns endereços mais famosos em Roma:

02/06/2016

Futebol Feminino Roma - Não à violência contra as mulheres!

Um evento legal que está na sua terceira edição aqui em Roma é o Futebol Feminino Roma.

A iniciativa nasceu no Dia Internacional da Mulher tendo como foco a causa da violência contra a mulher. 

Os times cresceram, a segunda edição teve uma participação maior e, essa terceira edição será ainda mais numerosa. 

O evento é organizado por brasileiras e brasileiros e é também aberto, claro, a outras nacionalidades.

Lembrando que é um momento de descontração, ninguém é profissional no esporte. 

É uma oportunidade de fazer amizades, praticar um esporte e fazer voz à causa de dar um basta à violência contra as mulheres


01/06/2016

Sonhos na Itália presente na Revista BrazilConnected

Chegou em Roma a Revista BrazilConnecteD !!


É A BrazilConnecteD é uma revista dedicada ao brasileiro que vive na Itália, acercando ao leitor os mais diversos assuntos culturais e populares.


A revista já está presente em Milão há 1 ano e agora chega para os brasileiros em Roma também.


E eu estarei lá todos os meses com uma matéria.


Estou muito feliz em ser convidada para este projeto!




31/05/2016

Brasileiros em Roma - 6º encontro

Domingo passado foi o 6º encontro do grupo Brasileiros em Roma, ativo no Facebook. 

Fizemos novamente um picnic na Villa Borghese (foi nosso 3º picnic no local). 

O grupo, do qual sou uma das administradoras, nasceu em 2013 durante a organização para as manifestações em apoio aos protestos realizados pelos movimentos sociais no Brasil, contra a repressão policial,  no mês de Junho de 2013.
Ali reunimos um bom grupo e levamos adiante essa amizade a fim de unir todos os brasileiros em Roma. 

25/05/2016

Realizando meu sonho na Itália - meu livro publicado

"Meu nome é Francine Arioza, tenho 24 anos nasci em Rio Preto mas moro na Itália há mais de 11 anos, mais especificamente em Roma.

Sou graduada em Interpretação e Tradução, falo 5 idiomas e trabalho como professora e intérprete aqui em Roma. 

Sou professora de português na Aeronáutica italiana e na Scuola internazionale di lingue e escrevo também para uma revista e sites.

Consegui me tornar uma escritora aqui na Itália, o que era meu sonho, e já tive meu primeiro livro publicado.


19/05/2016

Manifestação em Roma - Fora Temer! Temer Jamais!

Hoje eu, junto com os brasileiros em Roma saio às ruas para manifestar contra Michel Temer na presidência do Brasil, contra o golpe, a perda de direitos e benefícios adquiridos pelo povo e em defesa da democracia!

Convido a todos que estão em Roma a protestar com a gente!

A Luta continua!

#maiTEMERe
#alutacontinua
#fuoriTemer
#foraTemer
#pelademocracia
 #nãovaitergolpe


06/05/2016

Trabalhar como autônomo na Itália

Trabalhar por conta própria

A partita IVA é um registro para trabalhadores que desenvolvem uma atividade ou prestação de serviço de maneira profissional e autônomo (IVA: Imposta sul Valore Aggiunto).

Uma atividade autônoma é desenvolvida sem nenhum vínculo de subordinação, como acontece com quem trabalha registrado com um contrato subordinado a um empregador.

O funcionamento da IVA prevê a obrigação da empresa ou profissional que fornece o bem ou presta um serviço no país, de debitar o imposto ao próprio cliente de forma proporcional.

04/05/2016

Estudar italiano em Roma - Onde?

O que precisa para estudar italiano?

Quem vem do Brasil como turista e vai passar só 3 meses por aqui estudando italiano, não necessita de visto. Basta se matricular pelo site da escola, pagar a taxa de matrícula e o valor do curso. Além disso, as escolas ajudam a encontrar acomodação, seja em casa de família, com outro estudante em algum apartamento, ou até mesmo em hotel/albergue. Também oferecem translado do aeroporto até a sua nova casa.

Quem vem passar mais de 3 meses, pode requerer o visto de estudante de longa duração por meio da escola. Depois que você fizer a inscrição pelo site e ter pago o curso (intensivo) ou parte dele (extensivo), a escola enviará o certificado de inscrição. Com este e outros documentos necessários, é possível requerer o visto de estudo no consulado da Itália da região de residência no Brasil. Caso o visto seja negado, a escola poderá reembolsar o valor do curso exceto a taxa administrativa (verifcar o contrato pois este varia de escola para escola), se avisar com 30 dias antes do inicio das aulas.

Já aqueles que vêm para a Itália estudar em uma Universidade, normalmente estas oferecem cursos de italiano para os alunos estrangeiros, por isso, informe-se.


29/04/2016

Curso superior na Itália - como procurar


Está querendo fazer faculdade na Itália e quer saber como começar a procurar um curso? Vamos lá!

A melhor procura é diretamente nos sites das universidades. Porém, há sites que reúnem todos os sites de universidades, e aí fica mais fácil encontrar curso, região de interesse, etc.

Vejamos alguns deles:

Università Italiane – Este é o mais interessante na minha opinião. Pois se você já sabe aonde você vai, qual região, qual província, então fica muito mais fácil. Clicando na região, aparecem as províncias que possuem universidades e, clicando nelas, aparecem as universidades, os links para sites e tal. Quando se clica na universidade de interesse, aparecem todos os cursos que lá são ministrados. Ou seja, não é preciso perder tempo entrando num site de uma universidade que não tem o curso que você deseja. Daí é meio caminho andado.


27/04/2016

Cursar ensino superior na Itália é possível? O que é preciso?


Estudar em um outro país também é o sonho de muitos brasileiros.

Além de ser uma experiência enriquecedora é um up no currículo, com certeza.

Quer estudar na Itália? 


Veja o que é necessário de acordo com o nível de escolaridade.

23/04/2016

Como continuar os estudos na Itália?

Segundo a Constituição Italiana:

"I minori stranieri comunque presenti sul territorio italiano hanno il diritto e il dovere all’istruzione; per essi valgono i principi di vigilanza sull’adempimento dell’obbligo scolastico. Le scuole pubbliche sono tenute ad accoglierli".

Portanto, todos os menores estrangeiros em idade escolar obrigatória (máximo 15 anos) presentes no território italiano têm o direito e dever de estudar (mesmo se tiver ilegal no país). As escolas públicas têm que lhes acolher!

Por isso, se você não terminou os estudos no Brasil e quer continuar estudando ao chegar na Itália, saiba que é possível (mesmo se você tiver mais de 15 anos, como falarei mais adiante).

Quem tem até 15 anos é só realizar a inscrição em uma escola, com os seguintes documentos:

22/04/2016

Quais e onde estão os hospitais públicos de Roma?

Roma tem dezenas de hospitais, cada um com sua especialidade.

Normalmente os atendimentos são agendados de acordo com o seu endereço de residência. Mas não quer dizer que você não possa ir em um outro endereço, principalmente quando se trata de emergência.

Nesse caso, basta ir ao Pronto Socorro do hospital mais próximo de onde você se encontrar ou no caso de uma emergência específica (olhos, ortopedia, etc), o ideal seria ir no Pronto Socorro do hospital desta especialidade (mas não obrigatoriamente). 

O atendimento no Pronto Socorro é gratuito em caso de emergência (casos graves de acidente por exemplo), e seguem uma classificação por códigos:


21/04/2016

Aniversário de Roma: 2769 anos

Roma completa hoje, 22 de abril, 2769 anos desde a sua fundação (segundo a “lenda”, Romolo a fundou em 753 a.C). 

Esta comemoração é conhecida como “Natale di Roma”,  “Romaia" ou "Dies Romana”.

Roma a capital da Itália e vem definida como “Cidade Eterna”, mas também como “Caput fidei” (capital da fé), “Caput mundi” (capital do mundo”, Cidade Santa, Cidade da Água (pelas suas fontes, os dutos, a simbiose com o rio Tevere (Tibre) e a grande disponibilidade de água em geral).

É extensa e populosa, tem mais de 2 milhões e 600 mil habitantes.

Roma é uma cidade infinitamente mágica e cheia de história, em cada pedacinho seu.

E para comemorar os 2769 anos,  a Capital tem a agenda cheia de eventos. 

15/04/2016

Onde comprar produtos brasileiros em Roma?

Alimentação - Onde comprar produtos brasileiros?

Umas das primeiras fases de adaptação ao chegar em outro país é a alimentação. Tudo bem que na Itália "si mangia bene", mas sempre tem a hora que bate a saudade da comidinha caseira da mamãe.

E tem gente que não consegue ficar mesmo sem o "arrozinho com feijão" nosso de cada dia, mesmo estando vários anos na Itália.

Nos mercados tradicionais italianos não se encontra de tudo que estamos acostumados no Brasil. Tem arroz, mas não tem feijão como o nosso, tem leite condensado mas não é igual ao nosso e custa o olho da cara, enfim...

A solução é procurar as coisas que estamos acostumados a comer no novo país de morada (logo assim que acabar o estoque que veio na mala! :D).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...