30/04/2017

História do leitor: meu parto traumático em Roma

Hoje publico o relato de uma brasileira que mora em Roma e teve um bebê por aqui.
Ela se prontificou a relatar seu parto pois para ela foi um trauma, devido aos maus tratos que teve no hospital que foi parir seu filho. 
Vamos usar um pseudônimo, Rosa.

O parto de Rosa


Rosa estava já de 40 semanas de gestação, portanto no fim do tempo normal.
Com dores, foi à sua ginecologista que não a quis visitar dizendo que as dores eram normais, mas que era preciso ter paciência e esperar pois, ainda não era hora e que o primeiro filho atrasava mais o nascimento.  

No dia seguinte começaram as contrações mais fortes e durante a madrugada, se tornaram  insuportáveis e assim, Rosa decidiu com seu marido de ir ao hospital para a internação. 
Escolheram o Hospital Santo Eugenio, no Eur.





No Pronto Socorro do hospital a examinaram e já tinha cerca 5 cm de dilatação. 
A encaminharam diretamente à sala parto. Com muita dor, ao pedir ajuda para ir ao banheiro, foi debochada pela equipe médica presente. E começaram ali os maus tratos.

Rosa com dores insuportáveis, escolheu tomar a anestesia epidural, mas diz ter aliviado um pouco somente na primeira aplicação. 
O parto estava sendo difícil porque o bebê não descia apesar de estar já completamente dilatada. 

A dificuldade do parto levou à queda dos batimentos cardíacos do bebê, levando ao que se chama de sofrimento fetal. Rosa diz que poderiam ter logo partido para um parto cesáreo devido às condições do bebê, mas insistiram no parto normal utilizando a ventosa para a saída do bebê. 



O procedimento "amassou" levemente a cabeça do bebê, que voltou à forma normal depois de alguns meses. 

Durante todo o parto, Rosa alega maus tratos do médico que a atendeu, nominando somente como Paolo. Disse ter sofrido xingamentos e sinais de preconceito (xenofobia), coisa que também foi relatado a ela por uma amiga equatoriana que também pariu naquele hospital. 

Para Rosa o parto foi tão traumático que desencadeou uma depressão. 

Infelizmente, devido à toda dificuldade do parto, seu bebê ficou com sequelas, como o de atraso no desenvolvimento, tendo que fazer terapias constantes, como a motora e outros tipos de acompanhamento. Gastam muito mensalmente para que seu filho se desenvolva normalmente. 

Graças a Deus todos os tratamentos vêm fazendo efeito, porém Rosa se sente desamparada e chateada pelo acontecido, alegando ter sofrido negligência médica (com razão).

Todos os acompanhamentos médicos efetuados com seu filho após o nascimento indicam que sim, as sequelas são devidas ao parto. 

Rosa não teve nenhum apoio do governo em relação a isso. 
Diz que poderia ter entrado na justiça para exigir seus direitos como mãe, por ter sofrido negligência médica durante seu parto em um hospital público. 
Mas isso exigia um advogado, gastos que não se permitiam na época e acabaram deixando para trás. Preocupando-se somente na saúde do filho. 

Graças a Deus a criança responde aos tratamentos e está muito perto de um desenvolvimento normal. 

Porém Rosa não aconselha o hospital Santo Eugenio de Roma e os médicos da equipe. 

Fica aqui seu relato. 

Força mamãe! Que Deus continue abençoando vocês. 

Se quiser também contar a sua história escreva para sonhosnaitalia@gmail.com

Baci a tutti!

Quer colaborar com o blog?
Ajude a manter o Sonhos na Itália no ar fazendo uma doação de qualquer valor através do PayPal.

 
Quer colaborar de outra forma? Escreva para sonhosnaitalia@gmail.com
Agradeço a todos!

4 comentários:

  1. Não é fácil ter esse tratamento em uma hora tão complicada como o parto, não é facil...tive esse tratamento também no Brasil, na Santa Casa de São José do Rio Preto - SP. Fui internada as 2 horas da madrugada, passei o dia todo com contrações, romperam minha bolsa as 3 e meia da tarde, tive dilatação total mas o bebê não desceu, o médico que me acompanhou era estúpido, e a minha sorte é que fui para sala de parto com a médica que trocou de turno com ele, ela foi muito atenciosa e não quis usar o forceps para não machucar a mim e o bebê, por fim, fiz força das 4 as 7 e meia da noite e nada...foi quando me levaram para fazer cesárea já que o bebê estava em sofrimento. Graças a Deus ele nasceu muito bem, mas eu, sofri com a falta de cuidado das enfermeiras que me trataram muito mal no pós operatório, foi uma experiência péssima, não desejo para ninguém. Graças a Deus meu filho não teve sequelas, mas é uma criança extremamente amsiosa, dizem as psicólogas que foi devido a demora no parto.
    Força mamães, não tenham medo de exigir dos médicos um tratamento adequado, lembrem-se que a saúde do seu filho é o que mais importa, podem nos tratar mal, mas não deixem que passem da hora do nascimento, lutem, gritem!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, obrigada pelo depoimento.

      Excluir
  2. À 11 anos atrás eu tiver um parto parecido com di Rosa.Muito difícil mas graças a Deus eu tive a sorte di encontrar uma equipe médica muito competente e profissional no hospital San.Pietro mia figlia nasceu com a ventosa não tever nessuna consequência

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graças a Deus! obrigada por comentar.

      Excluir

Obrigada por participar!
Seu comentário será publicado após a aprovação. :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...