09/05/2020

Realizando meu sonho na Itália: Quando a idade não é motivo para desistir!

O sonho de muitos brasileiros que são descendentes de italianos é aquele de reconhecer a própria cidadania italiana e, muitas vezes, o de viver na Itália. 

A 'Malu Darsier' é uma das sonhadoras que não desistiu até realizar seu sonho, à beira dos seus 58 anos de idade. 

E hoje publico o relato dela (o qual também foi publicado em um grupo de Cidadania Italiana no Facebook), depois de quase 2 anos vivendo na Itália.

Um texto inspirador, de uma guerreira que realizou seu sonho na Itália! Grata Malu!

Resumão (resumo+textão) dos 2 primeiros anos na Itália:





Faltam 16 semanas para fechar meus 2 primeiros anos aqui. 
Cheguei no início de SET/2018.Passei um ‘cortado’ para conseguir a residência; fui ‘salva’ por uma vizinha napolitana espetacular, a Rita. Passei outro tanto com uma oficial ultra rabugenta, mas muito eficiente, que se referia sempre ao ‘clã dos brasileiros’.

Meu processo iniciou na metade de outubro e virei o ano como cidadã italiana, com carta d’identità na primeira semana de janeiro. E começou a jornada rumo à busca de trabalho. Com 16 anos de experiência em TI, e quase 20 como educadora física, instrutora de Tai Chi Chuan e formação em Med.Tradicional Chinesa (parte feita em universidade chinesa), pensei estar com um currículo razoável. Talvez até estivesse, mas minha idade (58a) me jogava para o último lugar de qualquer fila.
Fiz vários cursos gratuitos, incluindo Operatore di Carrello-Elevatore (muito divertido, por sinal)... E naaada!

O ano de 2019 foi bem duro! Só tinha uma certeza: não ia ‘jogar a toalha’! Lembram daquela ‘vizinha napolitana espetacular’? Me salvou de novo! Recebo o whats: ‘Malu, tenho uma amiga que precisa de alguém confiável para cuidar da mãe dela (com 74ª) que chega esta semana do hospital. Você aceita conversar com ela?’ Resultado: Após 1 ano e meio, tem 9 semanas que estou trabalhando!!! De segundas às segundas, 24hs por dia, sem folga. Cuido dela e de uma casa com garagem e mais 2 pavimentos. Duas tardes na semana, pedalo 5km até minha casa para deixar tudo limpinho, dar água às plantinhas, usar o wi-fi... E pedalo de volta, rindo sozinha e fazendo mantra do Buda da Infinita Compaixão para agradecer. 

Agradecer o quê? 

Por resistir às 3 primeiras semanas onde aconteceram coisas engraçadas (agora), outras nem tanto. Uma das engraçadas: a senhorinha preparou o autêntico ‘sugo di pomodoro’ e envazou. E eu meti os tinhosos dos vidros no freezer!!! Se ela estivesse armada, eu iria virar uma peneira!
Uma das ‘nem tanto’: errei o ponto da pasta. E ela diz na primeira garfada: ‘logo se vê que você não é italiana...’
Com o medo de errar, errava! E vinha a ‘paulada’. Respirava fundo, vivia um dia de cada vez e vá mantra e tai chi para segurar a peteca!!! Como não desisto nunca, devagarinho ela foi cansando de bater no boneco ‘João-Bobo’ dela (eu!!!). 

Neste mergulho diário na cultura italiana (do norte), em 9 semanas aprendi montes de coisas, inclusive a fazer o autêntico (e secreto) Tiramisu da família!!! Agora tenho 2 segredos: a massa de pizza da minha nona, o Tiramisu da signora Rosaria!!! Os napolitanos e a turma do sul que conheço são maravilhosos, tenho uma dívida de gratidão com Rita e com vários amigos e familiares que me apoiam. Estou exultante, pois logo poderei devolver os euros que me emprestaram.

E, siiimmm, sou brasileira EEEE italiana! 

Desejo a todos que estão passando por dificuldades aqui na Itália, que renovem suas forças e sigam em frente, fazendo o seu melhor. 
Para, no final, a gente poder ouvir aquela velha frase: ‘ahhh, como você tem sorte!’

💜

Quer publicar um texto sobre a realização do seu sonho na Itália?

Escreva para: sonhosnaitalia@gmail.com ou entre em contato através dos meus canais Facebook ou Instagram!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por participar!
Seu comentário será publicado após a aprovação. :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...